Ex-faxineira vira juíza e hoje tem 5 pós-graduações



Uma jovem pobre, do sertão da Bahia, hoje tem 5 pós-graduações e é juíza titular da 1ª Vara Cível e da Vara de Infância e da Juventude de Quirinópolis, em Goiás.

Uma jovem pobre, do sertão da Bahia, hoje tem 5 pós-graduações e é juíza titular da 1ª Vara Cível e da Vara de Infância e da Juventude de Quirinópolis, em Goiás.

Mas Adriana Queiroz, de 38 anos - que se mudou com os pais para São Paulo em busca de uma vida melhor quando era pequena - não esquece do esfregão que era obrigada a usar quando foi trabalhar como faxineira.

Na época com 18 anos, ela tinha acabado de passar no vestibular em uma universidade particular e teve que fazer faxina na Santa Casa de Tupã para pagar os estudos.

De dia, Adriana era responsável pela limpeza do chão e dos banheiros da unidade de saúde. À noite ia para a universidade.

Mesmo assim, o salário não dava e ela conseguiu uma bolsa de estudos.

Após seis meses, a jovem foi promovida no emprego e passou a atuar em um cargo administrativo do hospital, que ocupou até se formar em direito.
Adriana Queiroz, de 38 anos, comemora sua bela história de superação com cinco pós-graduações, um livro e um admirável cargo de juíza. Mas sem esquecer do esfregão que era obrigada a usar quando era faxineira.

A magistrada teve infância pobre, passou por desafios que colocaram à prova seus sonhos, mas também encontrou gente boa que a ajudou até a aprovação no concurso público para juíza.

Sobre o autor
Adenilton Cerqueira é fundador e diretor editorial da Black Brasil, conhecido entre os amigos como Théo, baiano,  feirense de nascença e soteropolitano de coração, é radialista, e blogueiro nas horas vagas. continue lendo aqui  

 
Black -Brasil © 2006 - Adenilton Cerqueira